sábado, 27 de setembro de 2008

Magalhães

Fernão de Magalhães foi o navegador português que ao serviço do rei de Espanha iniciou a viagem de circum-navegação em 1519 tendo morrido em combate nas Filipinas em 1521 depois de ter passado do oceano atlântico para o pacifico, viagem essa terminada por Sebastião del Cano.
Quis o governo homenagear este navegador atribuindo o seu nome a um computador portátil construído em Portugal.
O governo, no seguimento de outras iniciativas de distribuição de computadores portáteis vai entregar estes computadores pessoais específicos, a alunos do ensino básico. Ou seja é a disseminação dos computadores pessoais por crianças a partir dos 6 anos de idade.
Concordei com a distribuição ou a possibilidade de acesso a computadores portáteis a alunos a partir do 10º ano até ao 12º. Estou à vontade neste assunto uma vez que grande parte da minha vida profissional foi a trabalhar com e para a Informática, não sendo por isso contra o avanço do conhecimento.
Discordo porem desta última ideia, de distribuir computadores portáteis a crianças do ensino básico. Será que já teria sido feito algum estudo do impacto criado pela distribuição destas máquinas?
Será que todos os pais estarão preparados para lidar com esta intromissão tecnológica na formação da criança?
Estarão preparados para controlar o acesso à Internet das crianças?
Sabemos que um computador com acesso à Internet nas mãos de uma criança de 7 ou 8 anos pode tornar-se uma arma perigosa, para ela própria.
Estarão os professores do ensino básico também preparados para isso? Como irão sensibilizar as crianças de que é preciso ler o livro, escrever com o lápis, fazer contas, demonstrar-lhes que o ensino não começa e acaba no computador?
Talvez fosse preferível a existência de computadores da própria escola na sala de aula (Ensino Básico) e fossem sendo dadas progressivamente aulas de informática aos alunos, sempre na perspectiva de que teriam acesso a máquinas próprias quando atingissem o 10º ano (objectivo/prémio).
Estaremos na mesma no país do 8 e do 80? Onde estamos a querer ter um avanço anormal da informatização a partir de tenra idade e se andarmos 100 km para o interior veremos velhos sós em aldeias sem condições de vida, sem assistência médica, enfim a serem os últimos figurantes de sítios que duraram centenas de anos.
Penso que isto irá ajudar a aumentar o desequilíbrio do país, e o crescimento do mesmo será sempre enviesado.

5 comentários:

elvira carvalho disse...

Amigo eu penso que isto é uma campanha de angariação de votos, que não se justifica. Crianças desta idade, que dantes se entretiam com brincadeiras saudáveis, porque coriam saltavam etc. Vão passar a ficar o tempo todo sentadas. Daqui a uns anos vamos ter mais crianças obesas, e atrofiadas por falta de exercício. Vamos ter mais crianças inadaptadas porque não sabem conviver.
Por outro lado o país está à beira da miséria. Cada dia temos mais desempregados, mais subalimentados. O desemprego, as taxas altas no juro das casas tudo contribui para que em muitas casas comece até a haver fome. Nesta conjuntura justifica-se querer toda a gente informatizada desde criança? Seremos no futuro uma geração de famintos informatizados? Lembra-me um monólogo do Solnado, quando ele dizia, o meu filho vai prá guerra mas vai limpinho...
Um abraço e bom Domingo.

Anónimo disse...

faz hoje anos que nasceu um
menino em peniche de cima
em que eu me orgulho de ser
primo parabens e continua
a escrever que ca estou eu
para ler
um abraco

ALBINO disse...

ESTOU COMPLETAMENTE DE ACORDO..
Parabens Chico fizeste anos e tentei-te telofonar como tenho sempre feito estava interronpido.Espero que tives-te tido um dia feliz
ABRACO

Francisco Germano Vieira disse...

Obrigado por se lembrarem do meu aniversário.

Abraço

Anónimo disse...

Ólá Francisco Germano!Há já algum tempo que embora tenha percorrido o teu blog ,tenho tido pouco tempo para fazer comentários.Quero voltar a agradecer-te por teres sido o principal interviniente do meu encontro com o meu primo,foi um reencontro fantástico com risos e choros á mistura-obrigado.Sei que tens um dvd para mim ,e logo que me seja possivel ir aí, eu contacto-te.
Agora sim ,o meu comentário sobre o Magalhães:Achei o teu comentário muito correcto e oportuno, mas acho que que tudo isto nos põe assoberbados de revolta ,de raiva,e de acusações,porque temos todo o direito de achar que estamos a perder muitos dos nossos valores.No entanto como mãe e avó de um jovem com 19 anos,não posso deixar de(antes de apontar o dedo) culpar-me a mim própria por todas as mordomias com que sempre presenteei o meu neto (e só teve computador quando entrou para o 12º ano),Mas telemóvel,play station,mp3,etc...,etc...isso eu sempre arranjava um geito de dar,quanto á minha neta com 6 anos agora,aos quatro também já tinha um computador para brincar,afinal não me sinto com coragem para falar e sim para me acusar a mim mesma,porque é possivel que os meus jovens não estejam preparados para o que vem por aì,e a culpa é minha porque não os soube preparar para a vida dura como os nossos pais fizeram connosco.Eu não devo nada ao estado,devo sim tudo àqueles que fizeram de mim o que sou hoje,e sinto tristeza por não ter sabido fazer com os meus,os homens e as mulheres com máiúsculas, para melhor participarem no mundo que amanhã vão ter que enfrentar.Soube educá-los como gente de bem,honestidade e humildade,mas com muita coisa supérfula.Vou enviar-te um email que acho que vais gostar.
um abraço com muita amizade