segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A crise

"Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento dos caracteres, mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas, quando se quer falar de um país caótico que pela sua decadência progressiva poderá vir a ser riscado do mapa da Europa - citam-se, a par, a Grécia e Portugal. Nós, porém, não possuímos como a Grécia, além de uma história gloriosa, a honra de ter criado uma religião, uma literatura de modelo universal e o museu humano da beleza da Arte. Apenas nos ufamos do Sr. Lisboa, barítono, e do Sr. Vidal, lírico."


Eça de Queiroz em “Uma campanha Alegre” escrito em 1872.

Passados 138 anos, por quem nos ufamos?

O pior que pode acontecer a um país é a falta de esperança, o não acreditar em nada nem em ninguém, esperemos que o nosso povo não esmoreça.

Ao longo dos anos e recentemente ao longo dos últimos dez anos temos sido sujeitos a sucessivos planos de austeridade, agora este ano e o próximo vem aí mais do mesmo, com PEC I, II, III e IV, que depois de estarmos novamente a respirar mais folgadamente não voltemos às construções megalómanas, às novas Auto Estradas, aos 3 TGV's, Submarinos, Tanques de Guerra, Porta-aviões (o que nos dava jeito era um Porta-aviões assim maneirinho, dos mais baratos).

Enfim haja coragem e esperança, e que haja sentido de Estado por quem nos dirige e não o espectáculo deprimente de vermos uma rapaziada a brincar com isto.

Já agora por respeito às comemorações dos 100 anos da Implantação da República.

5 comentários:

ZéPê disse...

Excelente, Xico.
Obrigado pela inspiração.

maria disse...

que a palavra esperança tenha um epílogo feliz.
maria

Maria do Mar disse...

Nem com as "Farpadas" de Eça de Queiroz o Português se inspirou.
Excelente lembrança na passagem deste centenário.PARABÉNS

jorge saldanha disse...

Não sei se o comentário que fiz anteriormente foi publicado porque me deu erro. Mas era só para te felicitar pela postagem, que é muito actual e tu lá vais descobrindo estas coisas. Li uma copia da tua postagem no delito de opinião, um blogue interessante, escrito por gente ligada á educação e ao jornalismo. Val a pena ires até lá. ( se o outro comentário chegou apaga-o p.f )
Abraço
Jorge Saldanha

Anónimo disse...

Boa Noite, Vieira

O que me preocupa é que os actores são sempre os mesmos, ou estão no governo ou na oposição.

Um Abraço
Tito Caetano