terça-feira, 13 de setembro de 2011

Construção de Aladores para a Pesca da Sardinha em Peniche - Laranjeira & Sales - Anos 60

A acompanhar estas fotografias que o Ramiro Viegas teve a gentileza de me enviar, vinham algumas palavras escritas por ele e que eu reproduzo na integra mais abaixo, com as quais eu não posso estar mais de acordo. O Sr. Victor Laranjeira, da Firma Laranjeira & Sales Lda, foi um visionário na "mecanização" das Artes da Pesca, desenvolveu o primeiro Alador em Portugal para as Redes de Cerco, conforme as imagens mostram os trabalhos na Oficina (na qual eu passei por pouco tempo antes de ir para o Serviço Militar em 1968), ele era de facto um Inventor, não têm conto as máquinas e maquinetas que ele concebia, os mecanismos de ajuda que ele idealizava, para que a vida do mar fosse mais fácil.
Ele era um Homem com uma simplicidade fantástica, com um sentido de Humanidade e ajuda ao próximo notável. Sim, de facto a exemplo de outros nomes da nossa terra, acho que este Senhor nunca foi devidamente homenageado.
Agradeço por isso ao Ramiro Viegas também, a oportunidade que me dá, de dar relevo duma forma simples é certo, à obra e ao carácter do Senhor Victor Laranjeira.

Da esquerda para a direita, identificáveis: Francisco Ribeiro, Ramiro Viegas, ?, ao fundo João Laranjeira e Veríssimo Félix.


Nesta imagem vêm-se ao fundo da esquerda para a direita. Carlos Laranjeira, Joaquim Maragota, Alfredo (Ferramenteiro), Carlos Alves, João Laranjeira, António Silva (Torneiro), Raul Ximenes, Idílio, Ramiro Viegas, Benjamin Nicolau, Carlos Rosas, Francisco Ribeiro, António Joaquim e Veríssimo Félix.

Nesta imagem da esquerda para a direita: Benjamin Nicolau, Carlos Laranjeira, António Silva, João Laranjeira, Francisco Ribeiro, Carlos Rosas, Raul Ximenes, António Joaquim, Alfredo, Joaquim Maragota, Idílio, Ramiro Viegas, Veríssimo Félix e Carlos Alves.


"Nestas fotografias, faltam entre outros, o HOMEM que, julgo Peniche nunca o homenageou, pelo seu empreendedorismo, criatividade e visão, do que era necessário fazer para que, a pesca tivesse o impulso para o seu desenvolvimento e melhor rentabilidade, falo do Senhor Victor Laranjeira, HOMEM de uma inteligência, saber: SER - ESTAR - FAZER. Não vou alongar-me muito sobre a pessoa que me marcou para todo o resto do meu percurso enquanto cidadão pois, se assim o fizesse muitas páginas teria de escrever. Por esse facto, considerei oportuno enviar-te estas fotografias que demonstram diversas fases na construção dos "Primeiros Aladores para a pesca da sardinha" fabricados em Portugal na firma Laranjeira & Sales Ldª. perpetuando agora nas novas redes, o que de bom se construiu em Peniche mas que, infelizmente não foi devidamente apoiado pelas entidades quer de Peniche quer Nacionais."
Este texto e fotografias enviadas pelo Ramiro Viegas

5 comentários:

jorge saldanha disse...

É sempre agradável recordar o Homem, empeendedor, dinamico, inventor, que foi o Sr. Victor Laranjeira,que bastante contribuiu para o desenvolvimento da pesca e nunca teve o merecido reconhecimento. Também é bom recordar as pessoas com quem trabalhei ( a maioria). Já agora um reparo, a quem o Viegas chama Benjamim Nicolau....são duas pessoas, irmãos, mas pessoas diferentes. O Nicolau ainda hoje é vivo, felizmente, tendo o Benjamim, irmão mais velho, falecido já há alguns anos.Ambos trabalharam no Laranjeira & Sales, Lda.

Aniceto disse...

Tambêm presto a minha homenagem a esse Grande Senhor e toda a sua família,não esquecendo a Firma representada que muito fez para a evolução da pesca.
Chico lembra-me do seguinte:estiveste lá, o Francisco Ribeiro,o Viegas e o Carlos Rosa tambêm,foi depois de tirarem o curso industrial? Se foi, não sabia que esta empresa Penichense aceitava recêm formados.
Abraço.
Luis Aniceto

PEDRO NOVO disse...

fomos pioneiros em muita coisa mas infelizmente fomos esquecidos. visite o meu blog. http://palangreiro.blogspot.com. Ainda esta no inicio mas espero ter tantas visitas como o seu...

Francisco Germano Vieira disse...

Luis Aniceto, enquanto o Francisco Ribeiro (Iauca) e o Carlos Rosas (já falecido) que são do nosso Curso foram para lá trabalhar, eu fui para a Lisnave e depois quando decidi ir para a Força Aérea tive de esperar uns 3 meses durante o qual e para não estar sem fazer nada, pedi trabalho ao Sr. Victor Laranjeira que aceitou, já que eu também tinha tirado o Curso de Soldadura na Lisnave que era o melhor do País. O Ramiro Viegas penso que acabou o Curso um ano antes de nós e foi para lá. A linha de fabrico e montagem de Aladores já era evoluida para Peniche e era também uma forma de dar emprego em Peniche (sempre muito complicado) a quem concluía o Curso Industrial de Formação Electromecânica.
Um grande abraço

Aniceto disse...

Chico, obrigado pela informação.
Nesse tempo quando se acabava o curso industrial o rumo a seguir era Casa Hipolito, Lisnave, Braço de prata ou continuação dos estudos, não fazia ideia que a empresa referida aceitava ex.alunos. Nessa altura já havia uma empresa virada ao futuro e que quando se inventava algo para o desenvolvimento da industria como é o caso,o governo punha dificuldades no registo da patente e do próprio custo obrigando os inventores a desistir.
Bem hajam os inventores Portugueses que com ou sem apoio dos governos continuam a mostrar ao mundo os seus inventos.
Abraço.

Luis Aniceto