domingo, 29 de janeiro de 2012

Navio Escola Sagres – 50 anos ao serviço de Portugal

Na altura em que vão ser comemorados os 50 anos de entrada ao serviço da Marinha Portuguesa do navio Escola Sagres, aqui nos juntamos a esta efeméride dando os parabéns a este navio que tão bons serviços tem prestado a Portugal.
Assim o Ramiro Viegas mandou-me uma pequena resenha da sua história e uma imagem de um trabalho artesanal em painel.
O actual Navio Escola Sagres é o terceiro navio com esse nome a desempenhar funções de instrução náutica na Marinha Portuguesa, sendo por isso, também conhecido por “Sagres III”. É o navio mais conhecido desta componente das Forças Armadas Portuguesas, identificado pelas suas velas ostentando a cruz da ordem de Cristo. Tem como missão permitir o treino e o contacto com a vida no mar aos Cadetes da Escola Naval, futuros oficias da Marinha Portuguesa. Complementarmente é utilizado na representação Nacional e Internacional da Marinha e de Portugal.
O Navio Escola Sagres, foi construído nos estaleiros da Blom & Voss, em Hamburgo, em 1937, para desempenhar funções como navio-escola da Marinha Alemã — onde era chamado Albert Leo Schlageter — foi o terceiro de uma série de quatro navios construídos para a Marinha Alemã, juntamente com os seus semelhantes da classe Gorch Fock: o primeiro, que deu o nome à classe, o segundo, ex-Horst Wessel (actual USCGC Eagle), o terceiro, o ex-Gorch Fock (atual “Tovarish” da Ucrânia) e o quarto, Mircea; houve ainda um quinto, o Herbert Norkus, destruído antes de ter sido terminado.
No final da II Guerra Mundial, foi capturado pelas forças dos Estados Unidos da América, sendo vendido à Marinha do Brasil em 1948 por um valor simbólico de $5.000 dólares. No Brasil foi baptizado de Guanabara, servindo como navio-escola até 1961, data em que foi adquirido por Portugal por 150.000 dólares para ser usado em substituição do Sagres II (ex-Rickmer Rickmers). O navio recebeu o mesmo nome do antecessor, entrando ao serviço da Marinha Portuguesa em 8 de Fevereiro de 1962.
Por vezes o Sagres III é erradamente referido como "Sagres II", em virtude do desconhecimento da existência do primeiro navio com este nome. Na realidade, o primeiro Sagres foi uma Corveta em madeira, construída em 1858 em Inglaterra. Fundeada no rio Douro serviu como navio-escola para alunos marinheiros, entre 1882 e 1898.
Apresenta-se abaixo um exemplar artístico em painel, que faz parte, do espólio particular do nosso conterrâneo “Renato Pedrosa das Neves” referente, neste caso particular a uma unidade naval de extrema importância para a Marinha Portuguesa e para Portugal.
Sabendo que, este nosso conterrâneo tem muito mais espólio artístico, na construção de referências antigas de Peniche que, devia ser dado a conhecer assim, os meios de comunicação entendam ser seu dever, resta-me endereçar-lhe mais uma vez, um bem haja e obrigado pela sua “PARTILHA”.navioescolasagres
Créditos Wikipédia.
Trabalho artesanal: Renato Pedrosa das Neves
Texto enviado por Ramiro Viegas

Sem comentários: