quinta-feira, 5 de julho de 2012

Fachadas de Peniche – na Av. do Mar

Na Avenida do Mar.

fachadaspenicheavmar (2)

 

Pormenor.

fachadaspenicheavmar (1)

5 comentários:

Albino disse...

Lembro-me muito bem deste predio,visto que tambem morei bem perto na Rua Tenente Valadim..realmente lindo e bem pintadinho..assim fosse muitos dos edificios antigos que se encontram em estado de degradacao...Um exemplo a seguir malta de Peniche...A QUEM PERTENCE?...so para dar os parabens..fazes bem Chico mostrar o que ha de bom na nossa terra.
Abraco.

jorge saldanha disse...

Quantas consultas aqui foram dadas? Um dos médicos que passou por Peniche e que se calhar merecia melhor reconhecimento. Falo do Dr. Pires de Carvalho, médico que serviu uma população inteira.
Abraço Chico.

Farelhão disse...

Agora não sei de quem é. Dantes morava lá o doutor Pires de Carvalho (1º e 2º andares)e no rés do chão havia uma oficina de bicicletas (à esquerda) e o Zé das bananas (à direita). O passeio da direita era em grandes degraus até à rua Vasco da Gama. A borda desses degraus era usada pela rapaziada para jogar às conchinhas (caricas). Os degraus tornavam mais difícil o jogo, transformando-o em desporto "radical" (LOL). Em frente do Zé das bananas morava o Tavira (Funileiro).
Foi ontem...

Francisco Germano Vieira disse...

Penso que agora é um edifício de escritórios, lembro-me de uma vez estive uns tempos no Victor Laranjeira antes da tropa e tive bastante atrapalhado com uma limalha na vista, o Dr. Pires de Carvalho é que me "safou".
Foi ontem...

Ramiro Viegas disse...

Meus Amigos,como esta foto trás a todos vós as memórias do passado que nos fica para a eternidade e a barbearia do Lúcio Foz?Vivi desde os meus quatro anos de idade até vir do ultramar(1972)e me casar.Saia de casa mergulhava naquelas águas e ia até,às escadas ou à rampa de acesso aos estaleiros do Sr. José Carriço, usufruir daquela belíssima praia que foi destruída. As brincadeiras com as lanças naquele lago em que remávamos com os pés uma vez que os pescadores levavam sempre os remos,quando não era com as madeiras das caixas de peixe.E aquela descida,em pedra, onde fazíamos corridas com carros de rolamentos e os jogos de hoquei cujas balizas eram as sarjetas e, quando vinha o polícia o Carocé,Coelho,fugíamos ora para a praia ora para a rua da prisão.Estou totalmente de acordo no que se refere ao Dr Pires de Carvalho.Apesar de ter um parque com o seu nome no Alto de Santa Cruz,devia ter sido melhor perpetuado como homem que ajudou os necessitados bem como um HOMEM DA LIBERDADE,lembro-me da manifestação do 1º de maio de 1974eu estava por debaixo da janela virada para a avenida do mar e vi este Homem chorar pela LIBERDADE.Havia muito para recoradr sobre esta zona, desde a abertura da avenida,à construção da estação elevatória do esgoto, ao alcatroamento de toda aquela zona.Obrigado a todos por trazerem estas recordações.