domingo, 20 de outubro de 2013

Fotografias com história–A antiga HUMUS no inicio dos anos 70 do séc. XX

Estávamos no inicio da década de 70 do século XX, esta era a Cooperativa HUMUS ainda no primeiro local, lá estão o J. Vital (novo), o J. Machado, o David Malheiros, a Adelaide Vital, o Fernando Neves, a Glóra Amador(?), mais duas pessoas que só com ajuda se possa identificar, um não me lembro o nome e a miúda poderá ser a Zélia (?).

Esta fotografia tem para mim um significado histórico, depois está aqui pessoal uns que já faleceram (O David Malheiros tão novo) outros que não vejo há anos como o J. Vital mais novo, de que era amigo.

Depois há o facto de que desde a HUMUS ou o  CICARP, a actividade cultural em Peniche foi perdendo gás. Enfim é bom relembrar outros tempos.

Antiga Humus

6 comentários:

Farelhão disse...

Havia tanto para dizer da Húmus, do CICARP e de todo o movimento local de resistência à ditadura. Ao ver o teu post, pensei se não valeria a pena operacionalizar uma iniciativa para trazer à lembrança aqueles anos de obscurantismo, mas de esperança. Os mais novos que hoje não encontram rumo para as suas vidas, poderiam ficar a saber que é possível mudar as coisas e que a esperança vale a pena. Os mais velhos sentir-se-iam de novo jovens ao recordarem as vivências de então e ao lembrarem o manancial de afectos que sentiram então.
Fica a sugestão para debate.
(na imagem reconheço também o Delgado)
Um abraço sentido, Germano, deste penedo distante que nunca esquece a terra que o criou.

Francisco Germano Vieira disse...

O debate poderá ser sempre feito, há défice cultural em Peniche e é necessário agitar as consciências, tenho esperança que isso vai acontecer, poderá já estar a acontecer pelos mais novos.
Um grande abraço para esse ilhéu de esperança daqui desta placa continental mas que não sei se um dia não será ilha novamente.

Jacinto Neves disse...

Lembre-me bem destes tempos, bons tempos excepto o estado novo e a pide, ia sempre com o meu pai (Fernando Neves)Associação velha, Humus, Sicarp,o pessoal naquele tempo era muito unido e amigos!

André Amador disse...

Pena é que os mais velhos guardem estas memórias, que há muito a dizer há! Mas se os vivos actuais não contam, os mortos não falam! E os que não viveram estes tempos só sabem por histórias de avós, tios, ou amigos mais velhos quando contam! Obrigado mais uma vez Chico por recordares a Humus, eu ouvi falar muito pouco, e sou privilegiado, a maioria dos meus amigos desconhece isto! Que é possível alterar as coisas, sempre foi possível e a esperança e os nossos sonhos até podem tornar-se realidade! Espero que o Farelhão possa ajudar. Que existe esse défice, para mim existe, mas em muitas iniciativas culturais que vou vejo cadeiras vazias, pouca participação! (Também fui "mal habituado" numa cidade onde respirava cultura bem maior que Peniche, mas esmorecer nunca!

David Jorge Malheiros de Sousa disse...

O meu GRANDE avó David que não conheci..mas na verdade é como o conhecesse e tivesse compartilhado a minha vida com ele! Um grande abraço para ele e para a minha avó Isilda um bejinho do tamanho do mundo onde quer que eles estejam!

Francisco Germano Vieira disse...

Amigos, a primeira Humus (que eu por acaso fui registar ao Tribunal das caldas da Rainha a pedido do Zé Maria Costa) foi em frente à Congelação na rua da antiga rodoviária, tinha uma cave onde servia de escritório, armazém e reuniões, era uma cooperativa livreira mas com ideias mais avançadas, depois fomos para uma nova delegação ao pé da Nau em frente ao Jardim da Cascata. Chegaram a fazer-se por exemplo sessões de poesia, havia uma cotização e era um projecto que se inseria na divulgação e incremento da cultura em Peniche.