quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Um arranjo, uma ideia para Peniche de Cima

Na entrada de Peniche de Cima o aspecto não é brilhante, desconheço se existe algum projecto para a entrada, mas não existindo ainda, deixem-me dar aqui um pequeno contributo.
De acordo com as imagens que junto, seria interessante, até haver possibilidades/necessidades de outra ordem, se recuássemos a rede de protecção até ao fosso da muralha e terraplanássemos aquela área, por certo daria um optimo parque de estacionamento para a praia nos meses de verão, o custo não seria muito elevado uma vez que seria só terra alisada, para não falar de outras potencialidades.

Espero que não interpretem mal estas palavras, tão só o gosto que tenho pela minha terra e o desejo de a melhorar.






4 comentários:

arsenioferreira2112 disse...


Caro Chico,

Assino por baixo,toda a sugestão de ideias para ocupação da área de terreno a que fazes referência.Conforme as fotos testemunham no teu texto,é um péssimo cenário para quem nos visita.Abraço.

José Alberto disse...

Tratando-se da entrada de Peniche parece-se ser um espaço merecedor uma intervenção mais interessante e apelativa do que um parque de estacionamento para os veraneantes. Não é preciso fazer muito esforço para encontrar alternativas diferentes que não passem por uma utilização sazonal que, no caso de Peniche e na melhor das hipóteses, vai de meados de Junho quase até à última semana de Agosto. E para que serve o parque durante os restantes 9/10 meses do ano?

Francisco Germano Vieira disse...

Tem toda a razão, não fazia sentido fazer naquele espaço nobre um simples parque de estacionamento sazonal, mas a minha ideia era aproveitar provisoriamente aquele espaço, não obstante ele a qualquer momento servir para outra utilização definitiva.

José Alberto disse...

As soluções pontuais sem estarem integradas num projecto global, sejam elas quais forem e onde forem, correm sempre o risco de ficar fora de contexto ou, pior ainda, de se transformarem em permanentes... Daí ter respondido que, mal por mal, o mal menor seria deixar aquele local feito matagal intocável e executar a sua ideia do lado oposto que, como disse, até por razões de segurança para os peões me parece que seria mais seguro evitando atravessamentos oportunos e inoportunos desta estrada que, já de si, é bastante movimentada.