sexta-feira, 8 de julho de 2016

Autocaravanas - o antes e o depois

Não há duvida até pelas imagens que se mostram que por exemplo a muralha da Gamboa, ficou melhor, no entanto talvez não fossem necessários tantos sinais de proibição espalhados pela Papôa.

2 comentários:

Anónimo disse...

Eu acho uma vergonha o que fizeram na Papoa, Forte da Luz, Quebrado, etc...
Eu contei pelo menos 15 sinais. 15!
Será que há um lobby dos sinais em Peniche?
Cada coisa daquelas deve custar uns 150 euros, mais a colocação.
Façam as contas...
O senhor vice-presidente que até é bem nazareno não conhece este sinal?
http://4.bp.blogspot.com/-oN4Jkg6GMlM/VbydLVrTHvI/AAAAAAAAO60/5JtpxBZ9zXY/s1600/placa%2Bnazare.jpg
Bastavam 2 ou 3 destes sinais colocados nos acessos, sem estragar o enquadramento paisagístico.

B.M.


Anónimo disse...

No artigo n.º 6 do Regulamento de Sinais de Trânsito nos sinais verticais existem, entre outros, sinais de informação, onde se inclui o sinal de estacionamento. Ora, nos termos do artigo 34º do supra mencionado Regulamento entre os sinais de informação temos o sinal n.º H1- estacionamento autorizado: indicação do local em que o estacionamento é autorizado; ao sinal pode estar associado um painel adicional dos modelos nºs 11 e ou
12. O sinal de estacionamento pode ser acompanhado de painéis adicionais os quais deverão indicar a obrigação, restrição ou proibição especial constante do sinal apenas se aplica aos veículos que figurarem no painel. Ora em nenhum dos modelos 11 ou 12 encontramos previsão para as autocaravanas, não podendo o mesmo ser criado de forma aleatória.

Por outras palavras, esses sinais são ilegais e nada proíbe uma autocaravana de estacionar/circular onde qualquer outro ligeiro o possa fazer (desde que seja apenas o estacionamento, não podendo fazer o uso da autocaravana ou pernoitar).

De qualquer forma, havendo um espaço destinado para as autocarvanas poderem pernoitar em Peniche, não vejo a lógica de pernoitarem noutros locais. Mas para isso, não são necessários sinais e sim autuarem quem aí pernoita.

E sim, sou autocaravanista.