sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Vai-se andando...

Estamos a passar um tempo de perplexidades, difícil, mas vejamos:

As noticias que nos chegam são no mínimo curiosas, está a decorrer um julgamento de gente importante ali para os lados de Aveiro, mas no fundo a discussão que tem vindo a lume é só a troca de uma caixa de Robalos por uma cesta de Alheiras, tanta coisa por uma ninharia, enfim, na Nazaré um Surfista estrangeiro “cavalgou” uma onda de “30 metros”, bem medidos, a Selecção Nacional de Futebol vai jogar num campo pior do que o antigo “pelado” do velhinho Baluarte, esse sim lisinho e tratadinho, assim se vê a força do nosso país perante o colosso Bósnia, chegam-nos ainda notícias de que o Estado poderá entrar em força na Banca privada (nalguns casos mais de 50% do capital) o que tratando-se de facto de uma nacionalização fará rebolar de tanto rir no túmulo, alguns nomes nossos conhecidos, a discussão do Orçamento de Estado para 2012 decorre a bom ritmo mas também de uma forma inócua, já que tem sido dito que não serão feitas alterações ao que já está escrito, é sagrado ponto final, no entanto, há vozes que nos pedem para ser só um corte num subsidio, em vez dos dois, outras vozes para ser tudo por igual, o governo que não, porque não. Bem, esta faz-me lembrar a história tão cara aos portugueses, quando há um acidente e se houve dizer que o acidentado ficou muito mal tratado, depois perguntamos concretamente o resultado, foram as duas pernas? Não foi só uma, há, ainda bem, foi só uma, que sorte que ele teve. Mas a máxima é “ficou muito ferido? Afinal morreu, morreu? Sim, olha ainda bem coitado, já viste como ele ficava se estivesse vivo?

1 comentário:

Álvaro Marques disse...

Tal como dizia o "Zeca" :Eles comem tudo e não deixam nada !!...
Um abraço