quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Uma “fenda” na Muralha

Conforme já tem sido alertado por diversas vezes torna-se necessário ter em atenção o “enorme buraco”, expressão tão em voga nos nossos dias, que pode pôr em perigo a Muralha do Baluarte da Gamboa, conforme a imagem que se junta.
P10501471

8 comentários:

Albino disse...

Com quase 400 anos de existencia,este Baluarte tem resistido a grandes tempestades para alem do que aconteceu depois do Terramoto de 1755..agora chegou a altura de ser reparada,e penso pelo que vejo na foto urgentememte mesmo,basta que a fundacao no meio ceda,e sera o desastre total..mais dificil depois para reparar...
Servico publico em accao Chico.
obrigado
Abraco
Abraco

Luis Santana disse...

Estao a espera que venha tudo abaixo. Porra, que assim tambem nao. Sera que tudo isto passa ao lado e ninguem se manifesta? Obrigado Chico por mais este alerta.Um emigrante.

Oriops Vieira disse...

Obrigado pela informação e confirmo que, da minha observação esporádica, essa situação tem-se vindo a degradar. É daqueles casos em que, depois de haver pequena fractura, nunca mais se conseguirá suster.

Carlos Tiago disse...

É engraçado como hoje mesmo também escrevi sobre este assunto. Estava a tomar um café e quando olhei, estava maré vazia, chamou-me logo a atenção tal o disparate do buraco em relação ao que tinha escrito em 2005 e final do ano passado. Daí juntei as fotos e voltei a informar as autoridades. Merece sempre a pena, mas lamento que desde 2005 nada se tenha feito para minimizar esta situação.Ainda bem que tu também fotografaste.

Anónimo disse...

Olá, Vieira
Há muito que verifico e comento c/diversas pessoas a existencia desse enorme buraco da muralha e que a tua foto bem documento.
Acho mesmo incrivel que as autoridades responsáveis não vejam e tratem do assunto que de momento ainda teria um custo relativo e que caso tudo venha abaixo a reconstrução será uma pipa de massa.
Não sendo entendido na matéria, penso que a colocação de umas boas carradas de pedra de arroncamento graúdo ao longo de toda a restante muralha a protegia de forma significativa.
Caso aconteça o pior direi que alguém deve ser responsabilizado e a sua conciencia deve ficar bem pesada.

Um Abraço
Tito Caetano

José Filipe disse...

Pode ser uma pequena fenda mas para nós, é uma parte da nossa história que desaparecerá se não forem tomadas providencias. Obrigado Chico por mais um alerta!

elvira carvalho disse...

Estive aí anteontem. Este ano não pude assistir à missa pois a Igreja está em recuperação.
Oxalá recuperem rápido a Muralha.
Um abraço e um excelente 2013

Ramiro Viegas disse...

Sobre este CRIME do património, também já tive a oportunidade de fazer chegar a diversos departamentos a preocupação sobre este "Assassinato" que se tem vindo a arrastar. Segundo o que me foi informado a Câmara não pode intervir porque "SÓ UM INSTITUTO DO PATRIMÓNIO TEM DIREITOS SOBRE TODA A MURALHA QUE ENVOLVE PENICHE" e, portanto a recuperação só pode ser efetuada por esta entidade. Contudo, não devemos esquecer que a Câmara à anos atrás, ainda só tinha caido uma das pedras fez a intevenção repondo-a no lugar MAS, foi chamada a atenção por ter efetuado a respetiva intervenção. Ora, quando numa localidade nós temos diversas entidades proprietárias das zonas SENDO A CÂMARA IGNORADA E MALTRATADA QUANDO INTERVEM QUE PODEMOS NÓS ESPERAR? Destruição como aquela que está vista e, não é só aqui vejam as "DUNAS" como a negligência das entidades CENTRALISTA DO PODER têm vindo a resolver o problema do desaparecimento das DUNAS.Em minha modesta opinião, a solução deste problema passa:Pelo direito de todo o território, até ao limite do mar, seja da responsabilidade da Câmara, no Mar para a Polícia marítima que, na maioria das situações quando tem que intervir em terra "RECORRE AOS SERVIÇOS TÉCNICOS E HUMANOS DA CÂMARA"; Pela alteração de todo o quadro político da gestão do património; Passarmos a viver num sistema "DEMOCRÁTICO FORTE" onde os cidadãos organizados em foruns temáticos possam pronunciar-se, sobre a eleição dos deputados à A.R. depois, em assembleias locais, discutir-se situações como esta e de outra natureza exigindo a resolução destas situações.
Aqui a Câmara, na minha modesta opinião, se já informou a entidade responsável pelo parimónio que se encontra a degradar E NãO OBTENHA RESPOSTA NA EXECUÇÃO DA REFERIDA OBRA, "EXECUTAVA ESTA E, PASSAVA A FATURA DOS CUSTOS Á ENTIDADE" RESPETIVA" talvez a situação não chegasse a este estado de destruição. Estamos perante a negligência de um conjunto de criminosos NOS QUAIS NÓS VOTAMOS.